Tecnologia do Blogger.

Mensagem do nosso amigo Villar

Antes de mais nada, quero esclarecer que tudo o que não precisamos agora é de uma guerra de picuinhas. Logo este será o primeiro e último texto que farei com base em declarações de membros da atual diretoria e que compõe a única chapa inscrita ( sobre o número de chapas, assim me afirmou o Sr Bandeira membro da comissão eleitoral)
Ante as afirmações tanto do Clovis, devidamente feitas na matéria publicada do blog Cão de Guardas Noticias, quanto a diálogos de outros diretores com associados mais próximos a eles, em que citam a falta de mobilização, a falta de acompanhamento, a apatia politica da categoria. Eu coaduno. Eu e mais 6169 integrantes da GCM não nos empenhamos o suficiente par tomar conhecimento da publicação do edital, que reafirmo, foi feito dentro do que prevê o estatuto e logo, aparentemente não possui vício de ilegalidade.

Fato!

E contra fatos não há argumentos.
Todavia, apesar de aparentemente legal, é a conduta que a categoria espera da diretoria?
Como disse, contra fatos não há argumentos.
Também é fato que participei de reuniões de diretoria que tinham como pauta, entre outras coisas a organização da eleição, participaram destas, o Atual presidente em exercício, Radmacker, a Valeria, o Lino, o Clovis. Todavia, nas 2 a que recebi formalmente a convocação pelo email, o assunto eleição NÃO foi abordado. Ou seja, eu como diretor eleito jamais tomei conhecimento da organização da eleição, como datas, em que veiculo seria publicado, quem seriam os indicados pela presidência para compor a comissão eleitoral. E apesar de ter cobrado, até a presente data NÃO me foram apresentadas as atas destas reuniões.

Cabe também deixar claro à categoria que em julho de 2014, mais precisamente no dia 07/07/2014, houve uma reunião de diretoria, na qual estavam pautados os seguintes temas: O afastamento da presidência pelo Augusto, qual dos diretores deveria ser afastado das funções na GCM para se dedicar ao trabalho na diretoria e avalição de meu ato de ter publicado em minha pagina do Facebook um vídeo contendo uma capa de colete, em condições precárias, que havia sido enviada à IRCV para uso de uma integrante daquela IR.

Ocorre que a diretoria entendeu que este ato era uma ação pessoal e não sindical. O debate acalorado ( e ate então normal) foi seguido de uma ação que o próprio estatuto prevê como passível de penalidade, onde um diretor se exalta para querer impor sua linha de pensamento e termina o ato sacando sua arma. De pronto exigi que o ato em tela fosse devidamente lavrado na ata que, só foi disponibilizada no dia 18 de maio de 2015 ou seja 10 meses após o ato,( atribuição de confecção das atas são de Radmacker e Valeira) e para meu espanto, o ato que descrevi, não foi devidamente lavrado.
Contra fatos não existem argumentos.

A categoria terá a oportunidade de demostrar a esta chapa inscrita se aprova ou não este tipo de conduta. Pois é a categoria quem manda no sindicato e não os diretores, que apenas devem fazer o que a categoria delibera.

Como eu não concordo, eu não irei votar na eleição que deve ocorrer nos dias 3, 4 e 5 de novembro, ou seja, NÃO IREI ASSINAR A LISTA DE PRESENÇA.

Se vc assim, como eu, não concorda, não vote!

 NÃO ASSINE A LISTA DE PRESENÇA

Este é um instrumento estatutário previsto.

Vá até a sede do sindguardas e exija cópia das atas dos atos da comissão eleitoral.
Exija por escrito.

Eu o fiz, por Email no dia 5 de outubro, pessoal e verbalmente no dia 13 de outubro.
E até agora não recebi da comissão eleitoral as cópias da atas.
Contra fatos não existem argumentos!

Mauricio de M. Villar
Secretário de Comunicação do Sindguardas-SP
Classe Especial IRCV

0 comentários:

Postar um comentário